VÍCTOR ERICE
Víctor Erice
Extras:

Editado: 09-2013
preÇo: 40 euros
comprar
 “… ele fez os filmes que eu gostaria de fazer”, ouço os jovens dizer sobre os filmes do Víctor. Pedro Costa

O ESPÍRITO DA COLMEIA/ EL ESPÍRITU DE LA COLMENA – 1973, 94`
Festival de San Sebastián - Concha de Ouro 

Isabel e Ana, de oito e seis anos, assistem ao filme “O doutor Frankenstein”. A pequena Ana começa a perguntar à irmã mais velha pelo monstro. Um dia Ana desaparece de casa.

O SUL/ EL SUR – 1983, 90`
Festival Internacional de Chicago – Hugo de OuroFestival de São Paulo – Prémio da Crítica

“A Gaivota” é uma casa com um cata-vento no norte de Espanha. Nela vivem Agustin, médico e vedor, a sua mulher Júlia, maestrina perseguida durante a Guerra Civil, e Estrella, a filha de ambos. Estrella percorrerá o caminho desde a infância até à adolescência suspeitando que há algo oculto na vida do pai: outra mulher.

O SOL DO MARMELEIRO/EL SOL DEL MEMBRILLO – 1992, 134`
Festival de Cannes – Prémio do Júri/Prémio da Crítica, Melhor filme da década de 90, segundo um inquérito da Cinemateca de Ontario a cinematecas e festivais de todo o mundo

Um artista pinta um marmeleiro plantado no seu jardim. Embora já tenha trabalhado este tema outras vezes, nunca pintou os raios de sol entre as folhas da árvore.

Disco 1| Filme (Espanhol legendado em português, inglês, francês, italiano e alemão)
Disco 2| Extras Apuntes (1990-2003) Imagens do trabalho do pintor Antonio López em diferentes cenários urbanos de Madrid |Conversa Víctor Erice/ António Lopez (38´)|Cenas não utilizadas. As Meninas. A Visita dos Amigos. |Detrás da Câmara Fotos de rodagem/ Biofilmografia ilustrada|Portfolio(Espanhol legendado em inglês e francês)

PARIS – MADRID IDAS – VOLTAS/PARIS-MADRID ALLERS-RETOURS, 2010, 73´
Um filme de Alain Bergala, para a série Cinéma, de notre tempsSob a direcção e olhar atento de Alain Bergala, Víctor Erice fala do cinema que o marcou e recorda os passos primordiais da sua formação como cineasta.

ALUMBRAMIENTO, 2002, 11`
Festival de Cracóvia – Dragão de Ouro
Uma tarde de Verão, 1940. No escuro, juntamente com os sons do campo ouve-se o choro de um recém-nascido. 

LA MORTE ROUGE, 2006,  34´
“Sim, esse era o nome do lugar: uma aldeia rodeada de pântanos, no Canadá francês, nos arredores do Quebeque”. Nunca a consegui encontrar nos mapas.

EXTRAS Conversa com  Víctor Erice e Manuel Asín (53´) |Na rodagem de Alumbramiento (13´)| Cena não utilizada de La Morte Rouge 3´40)|Portfolio|Biofilmografia