Fernando Lemos - Como, não é retrato?
Jorge Silva Melo
Características Técnicas:
PORTUGAL | 2018 | 76' | COR | 16/9 | 1.78:1 ANAMÓRFICO | PORTUGUÊS

©Artistas Unidos, 2018 | (P) Midas Filmes, 2019 | Registo nº 517/2019 | M/12
Editado: 06-2019
preÇo: 7,5 euros
comprar
Deixou Lisboa em 1953. Foi para São Paulo, Brasil. E deixou-nos a mais impressionante galeria de retratos eu diria que desde Columbano: os seus amigos, actores, escritores, pintores que fotografou incessantemente naqueles três últimos anos que viveu em Portugal. E é pintor, gráfico, poeta. Como ele diz, "Fui estudante, serralheiro, marceneiro, estofador, impressor de litografia, desenhador, publicitário, professor, pintor, fotógrafo, tocador de gaita, emigrante, exilado, director de museu, assessor de ministros, pesquisador, jornalista, poeta, júri de concursos, conselheiro de pinacotecas, comissário de eventos internacionais, designer de feiras industriais, cenógrafo, pai de filhos, bolseiro, e tenho duas pátrias, uma que me fez e outra que ajudo a fazer. Como se vê, sou mais um português à procura de coisa melhor." Este filme é um retrato em duas partes: uma longa entrevista em 2008, aquando da sua passagem por Lisboa, outra em 2017, em São Paulo. Uma vida. A vida feliz de um homem inquieto.
Estreia: 15-02-2018
com
João Pedro Mamede e João Gabriel Pereira
ficha tÉcnica
Realização Jorge Silva Melo imagem José Luís Carvalhosa som Armanda Carvalho montagem e grading Miguel Aguiar mistura de som Nuno Carvalho assistente de imagem César Casaca documentalistas Catarina Lopes Vicente, Daniel Fernandes com João Pedro Mamede, João Gabriel Pereira decoração Rita Lopes Alves, Thomas Kahrel produção Manuel João Águas, Pedro Jordão, Miguel Matos uma produção Artistas Unidos com o apoio RTP, S.A. e Fundação Calouste Gulbenkian